domingo, 25 de setembro de 2011

Títulos até no nome


Você reconhece o sorridente homem na foto abaixo? Se não, pode ser porque a foto é antiga, de 1986, quando nenhum de nossos colunistas pensava em nascer. Muito tempo para uma fotografia, mais tempo ainda para um técnico à frente do mesmo time. Este é Sir Alex Ferguson, há vinte e cinco anos no comando do Manchester United.

Foto: United Rant

Que técnico pode afirmar que só sai do seu time quando a saúde não permitir mais que ele trabalhe? No mundo, poucos. No Brasil, acredito que nenhum. Alexander Chapman Ferguson pode, e foi exatamente o que ele fez no fim do ano passado, quando surgiram boatos sobre sua aposentadoria. Sua carreira é longa e cheia de glórias, mas nem por isso está acabando.

Ferguson estreou como treinador em 1974, no East Stirlingshire. Apesar de trabalhar apenas meio período e receber quarenta libras por semana, foi muito admirado nos três meses que ficou no clube. Recebeu uma proposta do St. Mirren e resolveu aceitar, levando a equipe para a primeira divisão escocesa em 1977. No ano seguinte, se desentendeu com o presidente e foi demitido pela primeira e única vez na vida.

Em 1978 foi para o Aberdeen, onde encontrou alguns problemas nas duas primeiras temporadas. Na terceira, a história mudou e o time foi campeão escocês, o que não acontecia desde 1955. Venceu ainda a Scottish Cup e a European Cup Winner's Cup sobre o Real Madrid, antes de deixar o clube em 1986. Comandou a seleção da Escócia na Copa do Mundo no México, de onde saiu direto para o Manchester United.

Foto: Mike Stobe / Getty Images

Em sua primeira partida no comando do Manchester, Ferguson perdeu para o Oxford United. Até conquistar o primeiro título no clube - FA Cup em 1990 - passou por momentos difíceis, como uma goleada de 13 a 1 para o Manchester City e uma sequência de sete jogos sem vitória que quase lhe custou o emprego. Mas, aberto o armário na sala de troféus, este nunca mais foi trancado.

Em duas décadas e meia venceu tudo o que era possível. No total são 47 conquistas coletivas, 70 premiações individuais, título de Sir condecorado pela Rainha Elizabeth II e, recentemente, de Doutor pela Universidade de Stirling, por suas "incríveis contribuições ao esporte".

Se ele é o melhor técnico da atualidade é difícil constatar, visto que tem um time excepcional nas mãos. Mais complicado ainda é afirmar se o futebol inglês é melhor que o brasileiro, já que envolve opiniões e gostos diferentes. Mas uma coisa é impossível negar: ainda temos muito a aprender, tanto com os homens que confiaram em Ferguson, como com o próprio treinador.

@lucaslbl

Um comentário:

  1. Música para a primeira foto: trololololó lololó lololó, lololololóóó

    ResponderExcluir